Sambba e Voodoo montam holding para gestão das duas empresas

29 de Janeiro de 2019

Grupo Voice - nome da holding - fará a gestão financeira/administrativa das empresas

Há algumas semanas quando fiquei sabendo da aproximação das duas agências para uma negociação que poderia ser uma fusão ou venda de uma delas, me interessei em conhecer o modelo da transação, pois há anos venho sugerindo fusões entre agências de publicidade em Santa Catarina para oferecermos aos anunciantes atendimento profissional de excelência. Acompanhei alguns encontros entre agências, que não resultaram em negócio e soube de outras tentativas também frustradas. Uma pena.

Fui recebido na sede da Sambba pelos líderes das duas agências: João Paulo Vieira e Gláucio Chagas que me disseram estarem tratando dessa operação há vários meses. Eles estavam interessados em divulgar a operação, mas antes queriam falar pessoalmente com todos os clientes deles. 

É sabido que agências de publicidade passam por grandes mudanças nos seus modelos de negócio e que os anunciantes estão cada vez mais interessados em parcerias com agências que os ajudem a comunicar e vender para os novos consumidores por meio das mais variadas plataformas,  construam experiências da marca para os consumidores e, até, os ajudem a criar novos produtos. Novos tempos, novos formatos. Como disse Amir Kassaei, diretor global de criação da DDB Worldwide: “Para consertar o modelo das agências é necessário reconhecer que não estamos no negócio da publicidade. É preciso redefinir criatividade e saber usar inteligência de dados”.

Com certeza foi baseado nessa visão que os sócios das agências Sambba e Voodoo decidiram sentar-se para uma conversa. Eu conheço todos eles há 15 anos e sei que sempre procuraram implementar nos negócios o que há de mais atual em tecnologia e criatividade. A relevância da comunicação dos clientes, a busca de soluções realmente inovadoras e as possibilidades maximizadas pela disponibilidade dos dados são os principais pilares de atuação nas duas empresas. 

“Sabemos que a lucratividade dos negócios não é mais determinada pela veiculação de campanhas, por isso, nosso foco lucrativo foi ampliado para a prestação de serviços complementares. Mais do que fazer propaganda, nossas marcas fazem o marketing total para os clientes.” Revela João Paulo Vieira, CEO do recém montado Grupo Voice.

A holding
Foi essa sinergia que levou os sócios da Sambba e da Voodoo a criarem uma holding, o Grupo Voice, que fará a gestão financeira/administrativa das empresas, com suas marcas mantendo as gestões de atendimento de forma independente. Nas palavras de João Paulo e Gláucio, unindo esforços para serviços em comum, as agências propõem o desenvolvimento de ideias, estratégias e soluções para os clientes com inovação e criatividade.

“Ser o principal parceiro nos negócios dos nossos clientes é o grande caminho para o nosso sucesso. Detectar novas oportunidades, otimizar os investimentos, participar dos lucros, desenvolver novos caminhos, planejar conjuntamente, analisar internamente e externamente as ações desenvolvidas pelo cliente e gerar diagnósticos. Uma cronologia em sintonia para desenvolver pensamentos intuitivos e analíticos sobre a marca, mercado e consumidor. Dessa forma podemos entender os problemas/oportunidades de comunicação e seus desafios, para então definir audiências e a plataforma conceitual que irá direcionar a criação de peças e cronograma de ações”, comenta Gláucio Chagas, Diretor Executivo do Grupo Voice.

O Grupo Voice terá a experiência de Glaucio Chagas Lima, Gustavo Menyou e Jurema Oliveira, sócios da Voodoo, com mais de 30 anos de mercado, e a força e a inquietude dos sócios da Sambba, João Paulo Gomes Vieira, Alencar Decker e Francisco Decker. Essa união já gerou resultados, com a conquista de 3 novos clientes: Orcali, Oster e Segware

Redação AcontecendoAqui, Jailson de Sá