O que eu vi no RD Summit | Rosa Estrella, presidente do Grupo Fórmula

03 de Dezembro de 2015

O evento foi um divisor de águas na minha visão sobre o nosso negócio e a nossa profissão. Foram dois dias que valeram por dois anos! A maior dificuldade foi escolher o que assistir entre tantas opções de conteúdo e quase 150 palestrantes do Brasil inteiro e de várias partes do mundo. Empreendedores que movimentam um negócio que cresce, em alguns casos, três dígitos por ano!

Aprendi o significado de termos desconhecidos do dia a dia das agências, como Growth Hacker e me encantei com as palestras de Christian Barbosa, CEO da TRIAD; Deli Matsuo, ex-Google e Grupo RBS e Wil Reynolds, founder da Seer Interactive, porque apesar de estarmos num evento 100% digital, a tônica desses caras foi como lidar com as pessoas e suas emoções.

A tecnologia está aí para encurtar caminhos e abrir novas possibilidades para o marketing e a comunicação, mas por mais que a gestão de dados esteja no centro dessas novas disciplinas, a criatividade, o poder de persuasão, o conhecimento da natureza humana continuam a ser competências que nenhum software consegue substituir. E nós, empresas e profissionais de comunicação, temos a condição de usar esse conhecimento a nosso favor. Basta querer, olhar pra frente ao invés de ficar se lamentando porque o mundo não é mais o mesmo e o nosso negócio não funciona mais como antes.

Foram muitos insights valiosos mas um deles não me sai da cabeça e vou levar pra minha vida profissional daqui pra frente: Vamos viver de ciclos cada vez menores. Não existe mais garantia vitalícia para nenhuma empresa, nenhum modelo de negócio. Daqui pra frente, temos que pensar o novo todos os dias.

Rosa Senra