Coluna Inspiração | A era da voz

29 de Outubro de 2019

Depois da era do clique e do toque, entramos na era da voz.

 

Sem dúvida, ativação por voz é uma das novas fronteiras das marcas com os consumidores, os números são impressionantes. Somente a Amazon já vendeu mais de 100 milhões de dispositivos de voz e a expectativa é de que em 2021 sejam 1,8 bilhões de usuários desse tipo de dispositivo em todo o mundo.

Segundo a ComScore, em 2020, 50% das pesquisas nos Estados Unidos serão realizadas por voz e, no Brasil, os números também começam a ganhar força:

- 52% dos brasileiros já usaram comando de voz em vez de digitar enquanto usam o celular.
- 75% para pesquisar algo na internet
- 64% para mandar um e-mail ou mensagem
- 48% para tocar uma música
- 47% para utilizar o GPS
- 36% para ouvir notícias

 

Os assistentes de voz começam a ser usados inicialmente para previsão do tempo, gravar mensagens e escolher músicas. Mas conforme os usuários vão se acostumando com a tecnologia e se sentindo mais confiáveis em conversar com a máquina, o uso aumenta para perguntas gerais, rotas do GPS e, claro, compras. Mas isso não significa apenas mais um ponto de contato com as marcas e sim uma nova forma de fechar vendas em segundos, literalmente sem mover um dedo.

A voz amplia as interfaces do comercio eletrônico, obrigando as marcas a otimizarem o SEO e os conteúdos para atender à essa nova sistemática conversacional. Hoje, já são mais de 40 grandes marcas como Walmart, Starbucks e Uber que se conectam diretamente com os assistentes de voz para oferecer produtos e serviços.

Além dos assistentes como Amazon Alexa, Google Assistant e Apple Siri, já começamos a ver essa dinâmica conversacional aparecendo em anúncios ativados por voz no Spotify e em grandes portais de notícia como NYC Times, onde somente em junho foram mais de 269.000 ouvintes por dia em suas matérias. Isso sem falar nas TVs, geladeiras e carros onde essa tecnologia está ganhando espaço.

A pergunta é: Estamos preparados para esse mundo mais contextual e menos textual?

Veja alguns exemplos de marcas que entraram para era da voz:

 

HBO x Alexa: Westword – The Maze
No lançamento da série, ao dizer “Alexa Open Westword” o usuário era levado a uma experiência em áudio da série com interações dos personagens conhecidos dos fãs.

 

 

 

Burger King x Google Home: “Ok Google”
O dia em que o Burger King ativou o Google Home das casas através de um comercial de televisão.

 

 

 

Flipkart: Project Haggle Bot
Uma nova forma de venda por comandos de voz na Índia, onde o cliente pode pechinchar descontos e preços melhores com o robô atendente da marca.

 

 

 

Johnny Walker: The Bar
Um bar man virtual da Diageo que te ajuda a preparar drinks.

 

 

 

Sephora: Make Up Tutorial
Um assistente de maquiagem que te acompanha passo a passo.

 

 

 

Google Assistant x Wallmart: Voice Shopping
Parceria entre google e wallmart para compras diretas nas lojas de conveniência.

 

 

 

Coluna Inspiração

  • imagem de gustavot
    Gustavo Teixeira é formado em Comunicação Social pela FAAP e com especialização em Marketing e Branding pela FGV e ESPM. Iniciou a carreira no universo digital, em portais como UOL e TERRA. Nos últimos 12 anos, atuou no Grupo ABC/Omnicom Group liderando a área de planejamento estratégico da Agência Tudo e Tracylocke Brasil. Atualmente Gustavo lidera a área de planejamento e marketing da NSC Comunicação. É responsável pelo desenvolvimento de novos produtos comerciais e planos de mídia integrados.