Coluna Inovação | As estratégias de Resultados Digitais e Involves para expansão na América Latina

26 de Julho de 2018

As empresas atuam em mercados diferentes, mas compartilham ações semelhantes para conquistar clientes fora do país, resultado da colaboração que rola no ambiente de TI na Capital

Nesta quinta-feira, 26 de julho, a Involves leva a Santa Cruz de La Sierra a primeira edição internacional de seu evento itinerante AEx Pocket, que deve reunir entre 100 e 200 profissionais de trade marketing. O mercado boliviano representou a primeira experiência da empresa catarinense, que completará 10 anos em 2019, com parcerias locais e canal de vendas internacional. Mas o foco prioritário na América Latina, aponta o CEO e cofundador André Krummenauer, são países maiores e mais maduros economicamente, como México e Colômbia.

Os mesmos alvos em que mira a Resultados Digitais, líder em software para automação de marketing, que também levou para fora do país seu evento itinerante RD On the Road, realizado em maio e junho passado em Bogotá e na Cidade do México, respectivamente. As empresas atuam em mercados diferentes, mas compartilham estratégias muito semelhantes para conquistar clientes fora do país. Por exemplo: trazer profissionais dos países em que buscam atuar, treiná-los por alguns meses na sede, em Florianópolis, e depois levá-los de volta em companhia de um par brasileiro para montar a dupla base de atendimento. Nada de "chegar chegando", com alto custo e estrutura nababesca, mas seguindo a mesma ideia enxuta, de lean startup, que marcou o desenvolvimento destas duas empresas que figuram entre as maiores do setor na cidade.

A RD inaugurou recentemente escritórios nas capitais do México e Colômbia, onde tem em média 200 clientes em cada país. Apesar de o mercado nestes países não ter o mesmo nível de maturidade de inbound marketing do Brasil, o CEO Eric Santos afirma que é possível crescer lá de maneira mais acelerada do que aqui: "a curva de crescimento é mais rápida do que no Brasil. Quando começamos o projeto a ideia era repetir o que fizemos aqui, e isso levou seis anos. Hoje quando olhamos essa curva, dá pra crescer e chegar no tamanho hoje do Brasil em cinco, talvez até quatro anos. E se esse modelo funciona, levamos a fórmula para outros lugares". Esses outros lugares são Argentina, Portugal e Espanha, que juntos somam mais de 100 clientes e que podem, no ano que vem, receber escritórios próprios da RD.

A Involves tem clientes fora do Brasil há quase cinco anos, quando iniciou um projeto de gestão de trade marketing em pontos de venda da Motorola na Argentina - e os bons resultados levaram à utilização do software em outros países latinos. Segundo Krummenauer, a operação internacional tem crescido proporcionalmente em relação aos clientes no Brasil: nos últimos quatro anos, o mercado externo representa cerca de 10% do faturamento, que bateu em R$ 18 milhões em 2017.

A semelhança nas estratégias das duas empresas não é um mero "copia e cola". Há muita troca e colaboração no ambiente de tecnologia na cidade - no início do ano, a Involves organizou um bate-papo em que várias empresas com experiência fora do país compartilham erros, acertos e dicas pra quem quer exportar. A Acate criou um grupo temático sobre internacionalização para que a iniciativa tenha sequência e envolva mais pessoas. “É um movimento que não era muito forte até então. E isso é muito importante porque Floripa – e o Brasil como um todo – é  um mercado que ainda não se vê com potencial global”, defende.

Enquanto uns vão, outros chegam…

Aos poucos, outras empresas com sede fora da Capital - e do Estado - começam a colocar os pés na cidade que conta com o maior número proporcional de startups do país. É o caso da Moskit CRM, desenvolvedora de software para relacionamento com clientes e que tem sede em Londrina (PR). Na equipe de 14 pessoas que se instalou no coworking SoHo (também conhecida como a "antiga sede do DC") estão duas novas aquisições da empresa, Eduardo Rodrigues e Kayuá Freitas, que atuam há anos no mercado local de tecnologia e vêm para acelerar a parte comercial - a outra metade de colaboradores se mantém no norte do Paraná. Para o CEO Daniel Semaan, a operação catarinense será fundamental para a perspectiva de crescer 100% no ano que vem.

Outra que chega para buscar espaço no mercado local é a Asaas, fintech de Joinville e que trouxe a Florianópolis um business developer para fazer conexões com possíveis e clientes e novos parceiros. A empresa tem hoje 45 colaboradores no norte do Estado e prevê um crescimento acelerado no próximo ano, em torno de 250%.

Fabricio Umpierres Rodrigues

  • imagem de umpierres@gmail.com
    Fabrício Rodrigues, editor do portal SC Inova, é jornalista com especialização em Gestão Empresarial. Atuou durante 12 anos como coordenador em agências de assessoria de imprensa (Dialetto e PalavraCom), foi repórter em jornais como Gazeta Mercantil SC, A Notícia e Folha de S. Paulo e editor de sites de cultura desde os tempos da Internet discada. www.scinova.com.br / E-mail: scinova@scinova.com.br